quarta-feira, julho 17, 2024
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Postagens

35% da população mundial sofre com doenças alérgicas

Cerca de 35% da população mundial sofre de doenças alérgicas respiratórias, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). As alergias mais frequentes incluem a rinite alérgica e a asma. Por isso, conscientizar a população sobre os sintomas, prevenção e tratamento dessas condições que afetam o sistema imunológico e são bastante comuns entre os brasileiros.

O diagnóstico de alergias requer uma análise detalhada da história clínica do paciente. É essencial que o indivíduo informe ao especialista sobre seu ambiente de vida e trabalho, exposição a animais, fatores desencadeantes dos sintomas, características das crises e antecedentes familiares de alergias. Os métodos de diagnóstico padrão incluem testes cutâneos, determinação de IgE específico (RAST) e testes de provocação, quando indicados.

“O tratamento das alergias é baseado na identificação dos fatores desencadeantes”, explica Luiz Werber Bandeira, imunologista.

“Realizamos diversos exames e testes que são considerados padrão ouro na investigação de um quadro alérgico.”

Bandeira destaca que os tipos mais comuns de alergia são a asma alérgica, rinite alérgica, dermatite atópica e urticária. As variações climáticas, especialmente as baixas temperaturas e o uso de roupas guardadas por longos períodos, que podem conter ácaros e mofo, são fatores que agravam os sintomas alérgicos. “É fundamental lavar essas roupas antes de usá-las e manter os ambientes bem arejados para evitar a proliferação de mofo,” orienta o especialista.

As doenças alérgicas têm um componente genético significativo, ocorrendo frequentemente em famílias. “Um filho de um pai alérgico tem 30% de probabilidade de também ser alérgico, e essa chance aumenta para 50% se ambos os pais forem alérgicos,” explica Bandeira.

Além disso, Bandeira alerta que a incidência de doenças alérgicas está aumentando globalmente, especialmente em centros urbanos, devido à poluição e à perda de biodiversidade.

“É crucial que o diagnóstico e o tratamento sejam realizados logo nos primeiros sintomas para evitar a cronicidade e o agravamento das condições alérgicas,” enfatiza o imunologista.

A conscientização e o tratamento precoce são as chaves para melhorar a qualidade de vida das pessoas afetadas por alergias. Principalmente nesta época do ano, é preciso estar atento aos sintomas e buscar orientação médica adequada, contribuindo para um manejo mais eficaz dessas condições que impactam a saúde de milhões de pessoas ao redor do mundo.

Latest Posts

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Carnaval