Portal MF

Coluna Intervalo

O destaques do mundo do esporte
Por Cristiano Alves

Publicada em 13 de Outubro de 2017 ás 18:28:24
Foto: Toru Hanai / REUTERS/Toru Hanai
Expectativa é que a Williams seja superada pela McLaren

 O segundo semestre da atual temporada da Fórmula 1 está dando motivos para Williams e Force India, atualmente quarta e quinta colocadas no mundial, respectivamente, se preocuparem em relação ao campeonato de 2018.

Afinal, com orçamentos bem maiores, Renault e McLaren dão sinais de recuperação e têm tudo para não apenas comprometer os resultados dos dois times em um futuro próximo, como também impactar negativamente em sua situação financeira.

No caso da Williams, o orçamento já é um problema para o ano que vem, uma vez que o time perdeu dois patrocinadores, a Randstad e Avanade. E esse é um dos motivos para a demora na decisão do companheiro de Lance Stroll.

Tanto, que Felipe Massa, que não leva dinheiro para a equipe e teria de aceitar uma diminuição em seu salário para permanecer ano que vem, diz estar analisando a situação global do time.

"O carro, toda a parte mecânica, é o que vai contar mais, porque sabemos que temos um bom motor. Então temos que ver se essas equipes vão conseguir fazer um carro bom. Ainda é cedo para dizer, mas sem dúvida estou analisando bastante o que eles estão fazendo para o ano que vem até em relação ao meu futuro."

A expectativa é que a Williams seja superada pela McLaren, que terá motores Renault ano que vem e acredita que brigará no mesmo nível da Red Bull, por pódios, e pela própria equipe de fábrica da Renault, depois dos franceses terem reestruturado o time pelos dois últimos anos.

Outra equipe que tem motivos para ficar alerta é a Force India, cujo orçamento é inclusive menor que o da Williams. E, para o mexicano Sergio Perez, quem ameaça mais seriamente a quarta colocação entre os construtores, posição em que seu time tem se mantido nos últimos dois anos, é a McLaren.

"Vejo coisas acontecendo na equipe que fazem com que eu acredite que podemos evoluir com um orçamento maior. Obviamente, ano que vem será um grande desafio. A equipe com a qual estou mais preocupado é a McLaren. Se tudo o que eles estão falando sobre o chassi é verdade, então acho que eles estarão muito fortes ano que vem. Então teremos as Renault, as McLaren e também a Williams. Não será fácil", admitiu o mexicano, que está confirmado ao lado de Esteban Ocon para 2018.

A distribuição do dinheiro obtido com os direitos de transmissão depende, entre outros fatores, da colocação no mundial de construtores trata-se de uma importante fonte de renda das equipes, especialmente no meio do pelotão.

Com informações do Folhapress

Por Cristiano Alves

Publicada em 13 de Outubro de 2017 ás 18:20:24
Foto: Albert Gea / REUTERS
Barcelona tambémespera receber 200 milhões de euros pela venda do nome de seu estádio

 Lionel Messi ainda não sentou com o Barcelona para assinar a sua renovação de contrato. Mas, de acordo com a imprensa internacional, o contrato está acertado, faltando apenas a assinatura do jogador. A novidade é um detalhe no acordo: um bônus para o argentino.

Segundo o jornal britânico "Daily Mail", Messi receberá um salário de 500 mil libras mensais (R$ 2 milhões) e um bônus de 80 milhões de libras (R$ 333 milhões) em seu novo contrato, que deve ser até 2021.

O jornal catalão "Ara" explica que o bônus recorde se dá por dois motivos: o Barcelona recebeu uma grande quantia pela venda de Neymar, o que inflacionou os salários de todos os seus jogadores, e de Messi ainda mais; o segundo é a venda dos naming rights do Camp Nou.

Os jornais espanhóis explicaram na última quarta (11) que o Barcelona espera receber 200 milhões de euros pela venda do nome de seu estádio, o que ajudaria a reforçar o local e ainda a pagar o novo contrato de Messi.

Com informações do Folhapress

 

Por Cristiano Alves

Publicada em 13 de Outubro de 2017 ás 18:16:32
Foto: Paulo Whitaker / REUTERS
Atacante voltou ao clube no fim da temporada passada

 Jô voltou a dividir a ponta da artilharia depois de marcar no 3 a 1 sobre o Coritiba na noite da última quarta-feira (11), em Itaquera. Após o duelo válido pela 27ª rodada, o camisa 7 ressaltou a boa fase que vive no Corinthians e falou sobre o futuro.

"Eu passo por uma fase maravilhosa, mas não podemos nos acomodar. Eu sou titular absoluto, mas isso não pode fazer eu cair de produção. É continuar trabalhando até o objetivo final, que é o título", disse o atacante.

Segundo Jô, o Corinthians não recebeu propostas oficiais para vendê-lo depois do Campeonato Brasileiro. O atleta de 30 anos tratou o assunto como especulação, mas sinalizou que vai analisar as situações.

"Até agora não chegou nada. Sou muito grato pelo Corinthians, por tudo que ele fez por mim. Pretendo cumprir meu contrato, mas fico no aguardo. Não posso cravar nada e depois ter outra história. Vamos deixar as coisas acontecerem", ressaltou.

"Quero ficar e tenho contrato com o clube. Não tem nenhuma oferta ou proposta oficial, só especulações, mas temos de ser realistas. Vamos deixar as coisas acontecerem. O meu desejo é sempre ficar, mas vamos passo a passo. Primeiro vamos buscar o título, descansar no fim do ano e no ano que vem a gente vai ver o que fazer", completou o jogador.

Jô voltou ao Corinthians no fim da temporada passada. Em campo a partir do começo deste ano, o atacante foi fundamental na conquista corintiana no Campeonato Paulista, com gols em clássicos.

No Campeonato Brasileiro, Jô já fez 14 gols, dividindo a artilharia com Henrique Dourado, do Fluminense. Com a ajuda do atleta, o Corinthians tem 11 pontos de vantagem sobre Cruzeiro e Santos, os segundos colocados na tabela.

Com informações do Folhapress

Por Cristiano Alves

Outras postagens de Cristiano Alves