Portal MF

Coluna Feira Terra de Cultura

Tudo sobre a cultura feirense.
Por Emerson Azevedo

Publicada em 12 de Junho de 2015 ás 00:16:43

Teatro Gregório de Mattos recebe musical e exposição após reabertura

Foto: Valter Pontes

 O Teatro Gregório de Mattos foi finalmente reaberto ao público, após sete anos fechado por problemas estruturais. E, para marcar esse novo momento na cena cultural de Salvador, uma programação especial foi pensada pela Fundação Gregório de Mattos (FGM), que promoveu a revitalização do equipamento em parceria com o Itaú Unibanco S.A.  

O equipamento, que é de 1986, recebe a exposição “Amar a Lina”, que homenageia Lina Bo Bardi, responsável pelo projeto arquitetônico do teatro, desenvolvido em 1986. A exposição está na Galeria da Cidade, localizada no térreo. A mostra tem curadoria do cenógrafo e artista visual Joãozito e da doutora em arquitetura Carla Zollinger, e apresenta elementos da cultura popular, buscando reproduzir o ambiente que impressionou a arquiteta, composto por festas populares, feiras, riqueza visual e sonora do povo nordestino, sobretudo o baiano. Ela ficará em cartaz no local durante dois meses e pode ser visitada de quarta a domingo, das 14h às 19h. 

“É um grande presente poder reativar a memória da cultura baiana no centenário de Lina Bo Bardi, essa mulher italiana que foi apaixonada pela Bahia. Durante toda a sua vida, ela deu amor à Bahia, e nada mais justo do que reabrir o teatro retribuindo esse sentimento. Além disso, há a sensação de empoderamento da classe artística, que tem uma produção forte, importante, na Bahia. Estávamos precisando de espaços dessa importância, sobretudo com esse formato, que nos permite vários tipos de montagens. E fortalece aquela poesia que nos diz que ‘a praça é do povo’”, afirmou o curador da exposição, Joãozito. 

Musical - No final de semana após a reabertura, a casa recebe nos dias 13 e 14 de junho, sábado e domingo, às 19h, o musical “Eu te amo mesmo assim”, interpretado pelos atores Laila Garin e Osvaldo Mil, acompanhados por quatro músicos e com supervisão geral de João Falcão. A montagem é inspirada na obra “A Arte de Amar”, de Ovídio (43 a.C. – 17 d.C.), e dialoga com músicas sentimentais brasileiras de compositores, como Chico Buarque, Guilherme Arantes, José Augusto, Milton Nascimento, Roberto Carlos, Vinícius de Moraes e outros. As atividades serão realizadas na Sala Tabaris. O valor dos ingressos é R$30 inteira e R$15 meia. A venda acontece na bilheteria do espaço a partir da sexta-feira (12), das 14h às 19h.

Por Emerson Azevedo

Outras postagens de Emerson Azevedo