Portal MF

Coluna Intervalo

O destaques do mundo do esporte
Por Cristiano Alves

Publicada em 19 de Maro de 2017 ás 00:02:32

Intervalo por Cristiano Alves

 EXISTEM ASSUNTOS – Que entra ano, sai ano continuam em evidência e um deles é a questão da cobrança de preços de ingressos em jogos de futebol no Joia da Princesa, mais precisamente nas partidas do Fluminense. O clube está cobrando R$ 30, um preço que para a qualidade do espetáculo que muitas vezes é apresentado se torna caro, mas, convenhamos fazer futebol ingresso de R$ 10 chega a ser uma piada de muito mau gosto.

O MAIS INCRIVEL – É que membros da imprensa defendem esta tese de ingresso de R$ 10. Até mesmo a crônica especializa, em determinados setores, defende esta ideia, que sinceramente é absurda, estapafúrdia mediante a realidade que se apresenta hoje, principalmente no futebol, onde as fontes de receita são escassas e a bilheteria dos jogos ainda representa uma grande fatia dessa soma. Seria ótimo se colocar ingressos com o preço bem mais baixo, se o clube tivesse outras fontes de receita.

QUANDO DIGO SER ABSURDO – Este pensamento de ingressos mais baratos é pelo simples fato de muitos defenderem esta situação com total ignorância, sem levar em conta a realidade. Ai se alardeia “ah mais o Atlético/MG, o São Paulo... outros times colocam ingresso de R$0,50, R$ 1,00 R$ 2,00 e por que aqui não pode?” Eu retrucaria este questionamento com outras duas perguntas: quais as fontes de receitas destes clubes além da bilheteria? E qual a outra fonte de receita do Fluminense além dos patrocínios e da bilheteria?

SE – Muitos se decepcionaram domingo passado com os 2.460 pagantes, eu sinceramente não vi novidade porque na realidade a cultura do futebol em Feira é esta. Se vê públicos maravilhosos apenas em fases decisivas, quando o apelo dos jogos é maior. Se o ingresso fosse R$ 20, ou R$ 10 talvez aumentasse um pouco o número de torcedores, mas não seria na verdade um acréscimo significativo.   

A VERDADE – É que a questão do público no Joia da Princesa perpassa muito por uma questão cultural também. E doa a quem doer, um dos grandes fatores para que se mantenha esta cultura tacanha são as gratuidades hoje na praça esportiva, uma situação que deveria ser revista pelas autoridades, mesmo porque quanto mais gente de graça no estádio é menos arrecadação para os clubes e aí incluo também o Bahia de Feira. Ora com menos dinheiro, como se pode fazer times bons? Manter folha de pagamento em dia? Aí estes mesmos que entram de graça são os primeiros a cobrar, a criticar quando os resultados são negativos.

SE FALANDO EM GRATUIDADE – Sinceramente, tem gente que pensa que rever uma situação é tirar o direito de gratuidade. Não é isso, mas que pelo menos se reveja porque pelo menos se teria um limite e assim os clubes poderiam administrar melhor a questão de movimentação de torcedores. Mas da forma que está, entra ano e sai ano, as coisas continuam da mesma maneira.

É PRECISO – Que acima de tudo, as pessoas tenham consciência do que realmente pensam em relação aos clubes de Feira de Santana porque se existe realmente consciência, quem tem acesso livre saibam como usar, ou seja, usar apenas na necessidade. Por exemplo, sou da imprensa tenho acesso ao estádio. Porém se não vou trabalhar por que não pagar o ingresso e ir

E AS COBRANÇAS – E reclamações de torcedores se tornam repetitivas, maçantes que sinceramente poderiam até não ter muita repercussão até porque no lugar se abrir espaço para reclamações, o que nós da imprensa poderíamos fazer era provocar uma ampla discussão para a partir daí se adotar medidas que venham a ter um efeito definitivo e se acabe com polêmicas esvaziadas.

AINDA CABE UMA PERGUNTA – Será que se o Fluminense disputasse o Campeonato Brasileiro da Série A e colocasse R$ 40 os ingressos, o torcedor reclamaria? Eu tenho certeza que não porque, por exemplo, o Bahia de Feira colocou R$ 50 no jogo contra o São Paulo pela Copa do Brasil e tivemos 16 mil pessoas presentes. Garanto que ninguém reclamou.

O QUE ACONTECE – É a má vontade que o povo tem com o Fluminense, independente de quem esteja à frente. Isso é uma situação que chega a ser irritante, mas é o reflexo de administrações atrapalhadas. Mas agora, mesmo com as dificuldades, os dirigentes estão fazendo um bom trabalho e merecem uma chance por parte da sociedade. Vamos buscar apoiar, prestigiar principalmente este bom momento do clube dentro de campo.

HOJE – O Fluminense joga contra o Atlântico, em Salvador e pode se classificar para a fase semifinal do Campeonato Baiano. Faz uma grande campanha e merece se classificar e assim voltar a disputar a Copa Nordeste e a Copa do Brasil. Um jogo interessante que vale a pena conferir.

INTERESSANTE TAMBÈM – Será a partida de hoje no Joia da Princesa entre Bahia de Feira e Flamengo de Guanambi. O Tremendão precisa vencer para encostar no G-4 e o Beija-Flor tenta a todo custo escapar do rebaixamento. Esta partida terá a transmissão da Anguera FM 104,9 e eu vou estar comentando a partida que terá as reportagens de Gilson Ferreira, a narração de Sidnei Campos e não plantão esportivo Reginaldo Junior e João Neto. Acesse o site www.anguerafm.com.br, ou ouça pelos aplicativos Radiosnet ou Tunein.

Por Cristiano Alves

Outras postagens de Cristiano Alves