Portal MF

Coluna Intervalo

O destaques do mundo do esporte
Por Cristiano Alves

Publicada em 05 de Maro de 2017 ás 22:43:46

Intervalo por Cristiano Alves

 NOS MEUS TEMPOS DE CRIANÇA – Brincar de “Dança das cadeiras” era normal. A brincadeira – para quem não sabe – consistia no seguinte: uma turma ficava girando em um determinado número de cadeiras enquanto tocava a música. Quando a música parava, quem fosse mais esperto, corresse e sentasse na cadeira ficava e quem fosse mais devagar sobrava. A brincadeira era assim e fazia um sucesso danado nas festinhas de aniversário.

ENTRETANTO – Quando se fala em Campeonato Baiano esta “dança de cadeiras” recai sobre os técnicos das frágeis equipes que são montadas para o estadual, que a cada ano que passa está cada vez mais curto, ou seja, quem tiver que mostrar algo, que mostre logo porque não dá esperar os processos que normalmente acontecem em um time de futebol, quando se tem tempo para preparação.

NÃO VOU – Aqui listar quem entrou ou quem saiu, muito menos quem pode chegar e quem pode sair daqui para frente porque do jeito que a coisa vai, chegaremos à última rodada e ainda vai ter equipe trocando de técnico, como se estivesse trocando de uniforme, numa verdadeira “roleta russa” do futebol e a vida segue com os dirigentes tentando, tentando até acertar.

O PIOR DISSO TUDO – É que o que menos se leva em conta é a qualidade que existe nos times. Ou seja, os treinadores são na verdade médicos ou psicólogos do futebol que precisam remendar times, costurar esquemas táticos para que os resultados aconteçam e as suas cabeças não sejam guilhotinadas, já que trabalham com a corda no pescoço. Basta um resultado negativo.... aí já viu.  

QUEM ESTÁ FAZENDO BOA CAMPANHA – Na verdade montou a estrutura de antes porque hoje, verdadeiramente, montar uma estrutura em cima da hora para uma competição como o Campeonato Baiano é um suicídio. Não considero nem risco porque as vezes se tem as peças certas, mas não estão encaixadas. Para mim, quem corre risco são aqueles que já têm alguma coisa: o risco de cair em “armadilhas” e os resultados escaparem, como foi o caso do Bahia.

SUI GENERIS – É o caso do líder Vitória, onde apesar de 15 pontos, cinco triunfos seguidos,  o seu treinador Argeu Fucks literalmente está com a “cabeça a prêmio” por conta das péssimas atuações da equipe. Dá para entender? Se for olhar pela campanha, nada a conteste, mas além de tudo, todos querem ver o time “jogando por música”. É o resultado do imediatismo, do planejamento feito em cima de um calendário apertado que possui o futebol brasileiro.

FRANCAMENTE – É contraditório isso tudo porque na verdade, a coisa já começou errada pelo fato dele não ser o profissional da preferência dos atuais dirigentes. Ora, se não era do agrado, talvez fosse melhor até esperar um pouco mais para contratar melhor porque não vejo muita coisa nele e em muitos treinadores que têm por aí. Mesmo assim, os resultados estão acontecendo, porém com as atuações nada conviventes vêm as cobranças e o danado do imediatismo que leva os cartolas a tomarem atitudes abruptas.

O GRANDE PROBLEMA – É que os dirigentes dos times geralmente agem da seguinte forma: “temos x de dinheiro. Vamos investir, se der certo deu, se não der não deu e depois a gente desmonta tudo e monta de novo”. Futebol é uma sequência, ou seja, quando se monta o projeto se o monta para dar certo, mas nos primeiros erros se acabada tudo e o nosso futebol segue na “estaca-zero”.

NESSE ASPECTO – Quem acompanha de perto o Fluminense vê que existe uma sequência, mesmo com as eventuais dificuldades aparecendo. Errado ou não, o clube tem se pautado em um planejamento e até aqui a campanha reflete o que os dirigentes estão fazendo fora de campo. Claro que ainda “muita água vai rolar debaixo da ponte”, mas o Touro está com a classificação para a fase semifinal bem encaminhada.

HOJE – Encara a Juazeirense, em Juazeiro. Um jogo complicado porque a Juazeirense vem com tudo para cima em busca do triunfo para melhorar a sua classificação e, além disso, o time tem problemas na escalação. No entanto, com as opções que tem o treinador dá para acreditar num triunfo, mesmo sendo fora de casa.

A MESMA CONFIANÇA – Tenho em relação ao Bahia de Feira, que joga em casa diante do Galícia e pode vencer. Tem um time mais qualificado, mesmo com muitas mudanças, coma chegada de jogadores, porém mantenho um pensamento de que hoje o Tremendão sai com o triunfo no Joia da Princesa.

POR FIM – Fica o convite para você torcedor acompanhar a rodada do Campeonato Baiano e com uma nova opção em termos de equipe esportiva: Anguera FM 104,9. Hoje a partir das 15 horas direto do Estádio Adauto Moraes tem as emoções de Juazeirense x Fluminense com Sidnei Campos (Narração); Cristiano Alves (Comentários), Gilson Ferreira (Reportagens) e Edmilson Mascarenhas, o Lobinho do Deserto (Assistência técnica). Plantão esportivo – Rogério Brito. Comando Gilson Ferreira. Sintonize 104,9 FM ou www.anguerafm.com.br ou através dos aplicativos de rádio para celulares. 

Por Cristiano Alves

Outras postagens de Cristiano Alves