Portal MF

Coluna Intervalo

O destaques do mundo do esporte
Por Cristiano Alves

Publicada em 16 de Outubro de 2016 ás 17:26:03

Intervalo por Cristiano Alves

 JOGO INTERESSANTE – Será este entre Feira de Santana e Cachoeira na 3ª fase do Campeonato Intermunicipal. Um duelo de muita tradição pois em campo estarão duas das seleções que fizeram história nesta competição. Até aqui o time feirense vem fazendo bonito praticando um futebol objetivo e os números estão ai para comprovar.

AS CHANCES – São praticamente iguais dos dois times, sendo que Feira leva uma ligeira vantagem por ter feito mais pontos nas duas fases. Agora encara um adversário de nível técnico parecido, mas mesmo diante da dificuldade eu acredito que Feira pode sim avançar á próxima fase por ser um time bem entrosado que supera as mais variadas adversidades e vem fazendo um belo papel.

FALANDO NISSO – Diante das situações que vêm acontecendo tenho que reconhecer que o Fluminense fez um bom papel na cidade de Vitória da Conquista na semana passada, na estreia da Copa Governador do Estado, quando empatou em 2 x 2, depois de estar perdendo por 2 x 0, quando teve até dificuldades para fechar o grupo de viagem. Foi um ponto importante até porque o Bode sempre aparece como favorito na disputa da copinha.

HOJE – O time enfrenta o Teixeira de Freitas no Estádio Joia da Princesa e tem que vencer para ficar próximo da semifinal da competição. Acredito que o time seja favorito porque joga em casa e o Teixeira já começou mal, quando jogando em casa foi derrotado para o PFC, sem série, por 2 x 1 e vem para Feira em situação complicada.

COMPLICADA MESMO – É essa situação do Vitória: o time não mantém uma regularidade e por conta disso vem nessa pendenga na Série A. Faz hoje um jogo de seis pontos contra o Sport na Ilha do Retiro. O time pernambucano vem mal e precisa vencer para se afastar das cercanias do Z-4, o mesmo acontece com o Vitória. Tudo reflexo de campanhas instáveis  dos dois times.

DENTRO DESTE TEMA – Instabilidade, observando o desfecho da Série C na semana passada, apenas um nordestino ganhou vaga na Série B de 2017: o ABC. Botafogo/PB, Asa e Fortaleza fizeram boas campanhas, mas na “ora da onça beber água” se lascaram. Pior foi o time paraibano que aos 47 minutos do 2º tempo tomou o gol do Boa e de um atacante chamado Gênesis.

ORA – Este desfecho é a realidade do futebol nordestino, que não consegue se estabelecer e a representatividade nas principais séries do Campeonato Brasileiro é muito pequena. Veja quantos clubes estão na Série A? Três, sendo que todos correm risco de cair no ano que vem. Quantos estão na Série B lutando para subir? Apenas o Bahia e o Náutico. Para cair está o Sampaio Correa que é lanterna na Segundona.

ISSO ACONTECE – Porque o planejamento que é feito não corresponde à necessidade geral. Se planeja uma competição: se a coisa vai mal começa tudo de novo e se vai bem, tudo tem que se começar novamente porque não se tem sequência, se pensa sempre no presente, mas o futuro ninguém vê. Por isso, um clube num ano é campeão no outro cai nas tabelas.

O PIOR – É que os exemplos se sucedem e eu mesmo não vejo a mudança de atitude por parte dos dirigentes que seguem sempre priorizando o imediatismo e aqueles que pensam em alguma diferente conseguem até uma estrutura, como é o caso do Bahia e do Vitória. Mas como manter? Esse é o grande problema.

O FLU DE FEIRA – Passa por este problema, depois de fazer um ano muito bom onde começou a resgatar a credibilidade junto a sociedade. Porém o grande problema tá sendo manter o que se construiu e o pior é que começou a acontecer o choque de ideias e isso é ruim porque gera uma distorção que pode ter reflexos terríveis.

PARA FECHAR – Quero elevar o pensamento a Deus e rogar a ele que abençoe e dê muitas forças ao meu amigo Rogério Santana, que esta semana foi vitimado por um AVC. Um dos colegas mais polêmicos que conheço da crônica esportiva, porém é um ser humano de grande coração e daqui vão os meus votos de uma boa recuperação para você “Pai Rogério”, que também é leitor desta coluna.

A MINHA SOLIDARIEDADE – A ele, a seus filhos Amanda e Rogerinho, a sua esposa Laciete e a todos que compõem a equipe esportiva da Sociedade de Feira de Santana. Estamos na corrente para que o “comentarista da palavra fácil” esteja em breve de volta aos microfones fazendo aquilo que ama fazer: o rádio e principalmente falar do seu querido e amado Fluminense de Feira.

Cristiano Alves - Jornalista - DRT-BA-2300

Colunista de Esporte do Portal MF e Editor chefe do Jornal Folha do Estado

Por Cristiano Alves

Outras postagens de Cristiano Alves