Portal MF

Coluna Intervalo

O destaques do mundo do esporte
Por Cristiano Alves

Publicada em 09 de Outubro de 2016 ás 10:21:18

Intervalo por Cristiano Alves

 ESTOU DE VOLTA – Depois de passar 30 dias em gozo de férias, um período que serviu para a gente recarregar as energias e também refletir sobre as coisas que se desenrolam no dia a dia. A situação que vive o Fluminense neste momento foi uma das minhas reflexões e sinceramente revela uma ambigüidade.

A ALEGRIA – De ver um clube, que estava a beira do ostracismo na 2ª divisão do Campeonato Baiano chegar entre os oito melhores clubes do Brasil, numa prova de que quando se faz as coisas com planejamento e organização a tendência é dar certo, desde qie aconteça uma união de forças e isso aconteceu até aqui.

NO ENTANTO – Em meio a alegria vem a preocupação, pois ainda existem graves carências, antigos problemas que se luta por uma solução e sinceramente não acontece. Por exemplo, o time terminou a Série D praticamente com a “cuia na mão”, com pendências financeiras e com todo o sacrifício vai participar agora da Copa Governador do Estado sem uma clara perspectiva de solução, pois as fontes de receita não atendem às atuais despesas.

SEM FALAR – No eterno jogo de egos onde uns não aceitam ficar em um plano inferior a outros, no que se refere aos louros colhidos com o começo de um planejamento. Lembrem-se  todos é um CO-ME-ÇO e nada mais porque o caminho é longo e muita coisa ainda precisa ser feita no sentido de um futuro melhor. Como pensar num grande clube, por exemplo sem casa para morar e treinar?

NÃO ENTENDAM ISSO – Como crítica, mas sim como um alerta para que estas questões não sejam perdidas de vista, assim como as divisões de base, outro “calcanhar de Aquiles” de muitos e muitos anos e que até hoje não se encontrou uma solução definitiva. Olha ela aí fazendo falta agora? Tivesse o clube uma divisão de base ativa, os dirigentes não estariam fazendo das “tripas coração” para disputar a Copa Estado, que hoje é uma competição importante, embora muitos “torçam o nariz” para ela.

É IMPORTANTE – No aspecto técnico por se tratar da grande preparação para o Campeonato Baiano, que é a competição mais concorrida onde os clubes investem mais e a disputa é grande principalmente entre os clubes do interior para que quem alcança competições nacionais e assim tenha um calendário cheio e de quebra ainda leve um “troquinho”  no bolso. Sem contar que é o “caminho mais curto” para a Copa do Brasil ou Série D.

SE O FLUMINENSE – Quer crescer ainda precisa percorrer um longo caminho e, na verdade, se levarmos em consideração estes aspectos o time chegou este ano na Série D onde realmente poderia ter chegado. Se subisse seria uma grande alegria para todos nós, porém quando se sobe de Série  no Brasil as dificuldades aumentam. Vejam que clubes como o Remo e o América /RN que têm estruturas maiores não lograram êxito e pior ainda para o clube potiguar que junto com a Portuguesa/SP caiu para a Série D.

OUTRO EXEMPLO – Foi o River/PI que subiu este ano e quase caiu da C para a D. O Confiança depois de dois anos de sucesso este ano por pouco não foi degolado e olha que os clubes que eu falei são agremiações de maior estrutura que o Fluminense, que mesmo tendo já 75 anos de existência ainda está engatinhando. Vamos ver a realidade, a nossa realidade e trabalhar para que quando o time comece suba até o topo e permaneça.  

PRA COMEÇO DE CONVERSA – Hoje não existe um dirigente melhor que outro. É claro que existem aqueles que estão em maior evidência, até mesmo por conta do cargo que ocupam, mas estes não têm mais ou menos importância do que outros que parecem menos aos “holofotes”. Todos precisam ter consciência do papel que desenvolvem e o bem maior em questão é o clube. Se todos pensassem desta forma as picuinhas reduziriam bastante.

HOJE – Começa a escalada diante do Vitória da Conquista, que para mim é uma incógnita porque está no processo de remontar o time depois de ter feito um péssimo Campeonato Baiano, quando quase foi rebaixado para a 2ª divisão. O que o Bode vai apresentar ninguém sabe, mas independente de qualquer coisa, os jogos entre Fluminense x Vitória da Conquista se transformaram ao longo do tempo em confrontos de grande rivalidade e por conta disso será complicado o encontro de hoje.

TODAVIA – Mesmo tendo um elenco diferente das últimas competições, ainda sim o Fluminense entra em campo em igualdade de condições para conseguir um grande resultado. Será importante um triunfo na estréia, até para chamar o público nos jogos contra o PFC  e o Teixeira de Freitas, que serão no Joia da Princesa. Os jogadores que ficaram têm qualidade reconhecida e podem coordenar dentro de campo, mas este desafio que o clube terá pela frente.

O CERTO – É que independente de ser um time completo ou não, o Fluminense é quem tem representado Feira de Santana e até aqui o fez de forma positiva. Por isso insisto que todos devem se manter unidos em prol de um time forte capaz de trilhar grandes caminhos futuramente. A união é que faz a força e muitos ainda precisam entender isso.

Cristiano Alves - Jornalista - DRT-BA-2300 

Colunista de Esporte do Portal MF e Editor chefe do Jornal Folha do Estado 

Por Cristiano Alves

Outras postagens de Cristiano Alves