Portal MF

Coluna Intervalo

O destaques do mundo do esporte
Por Cristiano Alves

Publicada em 14 de Agosto de 2016 ás 12:31:45

Intervalo por Cristiano Alves

 QUEM IMAGINOU – Que pelo fato do Brasil ser o país-sede das Olimpíadas poderia estar no topo no quadro geral de medalhas, se ferrou. A classificação geral é o reflexo do quanto o nosso Governo se preocupa e investe na área esportiva, que como sempre venho dizendo é vista pela classe politica como um simples entretenimento, quando na verdade deveria ser tratada como questão social, o que acontece em outros países.

É LÓGICO – Que muitas nações, a exemplo dos asiáticos China e Japão, têm outra concepção do que venha a ser o esporte. O trabalho nesses lugares é feito de base, ou seja, o atleta tem uma mega-preparação em todos os sentidos e o reflexo disso são os sucessivos resultados expressivos, que estão ocorrendo não só nessa, mas em Olimpíadas passadas.

AINDA – Algumas modalidades como o Judô, por exemplo, nos rendem alguma coisa, porém é muito pouco para o tamanho do nosso país de gigantesca população. Ora, diante dessa situação, sediar eventos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas, não passa de pura “pirotecnia”, pois são gastos milhões e o legado deixado ao final de tudo é nenhum.

SE – Pelo menos, os governantes começassem a trabalhar as ideias no sentido de se mudar a estrutura esportiva, talvez a gente ainda pudesse ter uma esperança de que um dia, uma grande transformação acontecesse. Agora do jeito que está a situação, no geral, vamos sempre estar enroscados no meio de países sem expressão a nível esportivo.

FALANDO EM NIVELAMENTO -  Eu mesmo não tenho mais paciência para assistir um jogo inteiro da Seleção Brasileira porque o futebol que antes era o esporte que nos destacava a nível mundial está desaparecendo. Lutaram tanto que hoje o país se nivela a outros concorrentes que historicamente não tem o mesmo valor no contexto do esporte. A prova disso é a seleção olímpica que vem apresentando um futebol irregular com resultados sofríveis.

EU SINCERAMENTE – Não entendo o critério que a CBF utiliza para montar esta seleção. Na minha cabeça, a composição deveria ser feita com atletas com idade olímpica porque os atletas ditos veteranos nem sempre correspondem como se espera deles. Olha o Neymar, por exemplo, o que tá apresentando nas Olimpíadas é o que já apresenta na seleção principal: apenas e tão somente lampejos.

AÍ – Se tira a oportunidade de ver jovens talentos surgirem para o time principal. E não venham me dizer que os Gabriels são diferenciados porque eles podem ter participações destacadas em seus times, mas a nível de seleção, pelo que se se esperava deles ainda estão devendo e muito. Pelo que apresentam não justifica Gabriel Jesus ter sido vendido por mais de R$ 100 milhões ao futebol inglês e Gabigol estar sendo badalado em clubes europeus e asiáticos.

A VERDADE – É que esporte é visto não como uma questão social, mas sim como uma “válvula” para se cair na politica, seja ela esportiva ou mesmo partidária. Essa visão faz com que se perca não o romantismo, mas a essência do que vem a ser o esporte: um instrumento que une a sociedade, independente de classe ou condição.

HOJE – O esporte é visto como um negócio, onde se pode tirar vantagem politica, ou mesmo financeira. Por isso, que muitos políticos são tidos como desportistas porque constroem equipamentos de qualquer forma e entregam a população, mas eles não se preocupam em implantar políticas adequadas, que venham a refletir até mesmo na conservação dos equipamentos que eles mesmos constroem.

POR FALAR EM CONSTRUÇÃO – Hoje o Fluminense começa a construir mais um degrau na escada de acesso à Série C. O time recebe o Ceilândia/DF no Joia da Princesa dando a largada na terceira fase da Série D e precisa fazer o que fez contra o Sete na fase passada: o dever de casa. Vencer bem para administrar uma vantagem lá fora.

É UM JOGO – Extremamente difícil porque o Ceilândia tem a terceira melhor campanha geral da competição, tem atletas conhecidos a exemplo do experiente Baiano e um conjunto interessante. O Fluminense também tem se valido muito do seu conjunto e isso faz com que a partida seja difícil, porém muito interessante.

POR ISSO – Hoje, como diz o meu amigo Paulo José, lugar de tricolor é no Joia da Princesa. Vamos lá, vamos incentivar os jogadores para que eles consigam um grande resultado e assim o time possa ficar mais perto da próxima fase que pode dar acesso a Série C em 2017. Vamos lá torcedor # Uuuuu!!! Solta o Touro. 

Cristiano Alves - Jornalista - DRT-BA-2300 

Colunista de Esporte do Portal MF e Editor chefe do Jornal Folha do Estado 

Por Cristiano Alves

Outras postagens de Cristiano Alves