Portal MF

Coluna Intervalo

O destaques do mundo do esporte
Por Cristiano Alves

Publicada em 26 de Maro de 2016 ás 02:20:05

Intervalo por Cristiano Alves

 SE PARA MUITOS – O domingo pode ser de alegria, para outros pode ser de tristeza, pois hoje conheceremos os dois clubes rebaixados para a 2ª divisão do futebol baiano em 2017. Jacuipense x Feirense e Vitória da Conquista x Colo-Colo vão decidir a sua sorte hoje. A rigor, Colo-Colo e Feirense entram na desvantagem por terem tropeçado, mas sinceramente dado o nivelamento é difícil apontar quem cai.

NO CASO – Do Feirense, o gás se chama Zanata, que chegou esta semana e tem a missão de fazer o que não foi feito até aqui. Como ele tem histórico de resolver paradas indigestas, pode ser que mais uma vez a lógica seja contrariada e o Feirense escape da queda ao “apagar das luzes”. Será que consegue? Sinceramente é difícil prever.

ATÉ PORQUE – No primeiro jogo ficou clara a fragilidade do Jacuipense, que pagou caro pela mudança de estratégia em seu departamento de futebol. Sem a devida injeção financeira as coisas ficaram muito complicadas para o Leão do Sisal, que só desencantou no último domingo, quando venceu o Feirense por 2 x 1, mas ainda sim, não passa segurança de que pelo menos vai administrar o resultado que lhe é favorável.

AGORA – Uma coisa é certa: há algum tempo o Feirense vem namorando com a 2ª divisão e todo o namoro – na maioria das vezes – acaba em casamento. Até quando esta situação vai perdurar no time gameleiro? Seus dirigentes não são inexperientes e sinceramente não dá para entender onde foi o erro cometido para que a equipe chegasse a este ponto.

ANO PASSADO – O presidente Gamela disse que o problema foi falta de dinheiro e que ele estava sozinho tomando conta do time. Este ano as coisas foram diferentes, porém o resultado não veio, talvez, por problemas estratégicos na montagem do elenco que tem muitos atletas jovens, porém, numa competição “tiro curto” a experiência é necessária e diante das circunstâncias, até mais do que a juventude.

É DIFICIL – Até mesmo para a gente, que não está tão envolvido no dia a dia emitir um melhor juízo de valor. Mas uma coisa é certa: houve choque não de egos, mas de pensamentos dentro do clube, ou seja, um dirigente quer uma coisa, outro quer outra coisa e quando não há uma comunhão de pensamentos fica complicado se obter resultados imediatos.

DIGO ISSO – Porque são informações que chegam até a gente vindas de dentro do clube, que procurou inovar, porém, o primeiro grande ponto seria o alinhamento das ideias, o que não aconteceu. Não consigo entender como jogadores como Jaiminho, por exemplo, se sentam no banco de reservas para verem garotos jogar. Aí vem o questionamento: será que os treinadores tinham a liberdade de trabalhar?

O CERTO – É que hoje, o time decide a sua vida no Campeonato Baiano e como cronista esportivo fico triste de ver uma situação destas, até por conta das pessoas que estão a frente do clube, como Gamela que é um cara boa praça, carismático e tem serviços prestados ao futebol. Isso ninguém pode negar, mas a verdade é que a situação do Feirense é dificílima dentro do contexto de hoje.

INDEPENDENTE – Do desfecho eu acredito que já amanhã Gamela e os demais dirigentes do clube devam sentar para traçar o futuro e trabalhar. Um grande problema foi justamente as coisas em cima da hora, ou seja, é necessário se montar uma estrutura de maneira antecipada para que não se venha a passar por dissabores como este de hoje.

QUE SITUAÇÕES – Como esta sirvam de exemplo para os dirigentes planejarem melhor as suas equipes. Tá certo que a Copa Governador do Estado não é lá uma competição atraente para o torcedor, mas do ponto de vista técnico é da maior importância para que seja montada a estrutura para competições futuras. Quem montou sua estrutura antecipada como Fluminense e Juazeirense se deu bem.

ENTRENTANTO – Para que isso vá mesmo adiante, os cartolas precisa se perguntar:  qual é o meu objetivo no futebol? Dependendo da resposta se faz ou não planejamento. Agora se o clube existe apenas para figurar no cenário, sinceramente é melhor não fazer maiores planos. Só vale para quem realmente quer crescer no futebol.

PARA COMPLETAR – Estes questionamentos é necessário entender que no atual momento que vivemos é necessário se dar os passos certos para que o clube caminhe corretamente. Um passo em falso pode colocar tudo a perder. Está mais do que na hora de que todos entendam o planejamento como a melhor forma de se caminhar corretamente.

 Cristiano Alves - Jornalista - DRT-BA-2300

Colunista de Esporte do Portal MF e Editor chefe do Jornal Folha do Estado

Por Cristiano Alves

Outras postagens de Cristiano Alves