Portal MF

Coluna Intervalo

O destaques do mundo do esporte
Por Cristiano Alves

Publicada em 28 de Novembro de 2015 ás 02:22:25

Intervalo por Cristiano Alves

 ESTA SEMANA – Muitas competições já terão terminado e os clubes, através de seus dirigentes, começam a montar projetos a trabalhar os planejamentos para 2016. Alguns têm que começar do zero, outros precisam dar sequência, melhorando alguns aspectos, mudando outras situações para que no ano que vem as tristezas de hoje se transformem em alegrias e as conquistas de agora se multipliquem.

QUANDO SE FALA – Em planejamento, em alguns casos, quando as coisas não dão certo, se volta a estaca zero. É isso que vai acontecer no Bahia e que sinceramente me causa preocupação porque existe a necessidade de mudar, porém como isso vai acontecer? Não há tempo porque daqui há 60 dias a bola rola e começa a roda-viva, onde o time tem que dar conta no Baiano, na Copa Nordeste e Copa do Brasil. Se fracassa no começo, a tendência é que as coisas terminem mal.

É UMA TENDÊNCIA – No entanto se torna relativa porque este ano por exemplo, o Bahia foi campeão estadual de forma merecida, mas o seu grande objetivo que era voltar a Série A do Campeonato Brasileiro não aconteceu. O time fez uma campanha sofrível e na reta final a coisa degringolou de tal forma que até para adversários rebaixados, o Bahia andou perdendo e terminou a sua participação na Série B de forma melancólica.

É UMA SITUAÇÃO – Preocupante porque não se sabe o que vai acontecer daqui para frente. Se for mantida alguma coisa da atual estrutura, vai se dizer que está deixando um “ranço” do que não prestou. Por outro lado, se a estrutura for mudada completamente corre-se o risco de dar certo como dar tudo errado. Por isso é que o momento é dos mais delicados para o presidente Marcelo Sant’Ana e a sua equipe.

ME PREOCUPA – Também a situação do Vitória, pois o time subiu porém já volta a Série A com aquele status de candidato ao rebaixamento. Para mudar este estigma, a direção rubro-negra vai ter que melhorar muitas coisas começando na parte administrativa passando também pela parte de futebol para que o time não passe sufoco e possa galgar alguma coisa e não apenas lutar para não cair em 2017.

OUTRA COISA – Que incomoda é a inconveniência de oposicionistas. Nada contra, mas este pessoal tem que saber a hora certa de fazer política e não ficar fazendo terrorismo com competições em andamento porque por mais que se coloque as coisas em âmbito diretivo e administrativo, em algum momento respinga em outros setores do clube e a engrenagem pode encrencar trazendo sérios prejuízos.

O CERTO – É este pessoal “enfiar a viola no saco”, deixar os dirigentes trabalhando e no momento eleitoral se discutir o clube, se mostrar projetos, se debater questões que trazidas ao atual momento, em nada contribuem para o andamento das coisas. Quem não pode ou não quer ajudar tem que saber o momento de falar e de agir.

É ESTA POSTURA – Que muita gente precisa ter também no Fluminense. A eleição do Conselho Deliberativo está para se acontecer e nada se definiu até o momento. Isso é uma situação complicada porque sempre se tem uma ideia de que enquanto uns lutam para ver a coisa certa, outros vêm na contramão tentando fazer tudo para dar errado.

NINGUÉM – É obrigado a concordar com tudo, mas é preciso também se entender que o bem maior é o Fluminense e em determinado momento se precisa adotar uma postura de união, mesmo que por dentro se torça para tudo dar errado para que os dirigentes se ferrem. Que me desculpem as pessoas que pensam assim, mas eu acredito que isso não é postura de torcedor.

NÃO QUERO – E nem vou ficar aqui indicando nome de ninguém para concorrer à presidência do Conselho Deliberativo. Para mim pouco importa quem seja porque o que eu realmente espero é um quadro deliberativo atuante, que realmente dê o suporte aos dirigentes executivos. Não é suporte financeiro não e sim uma sustentação de ideias inclusive de se criar fontes de receitas.

ESTOU NO AGUARDO – Para ver como vai se configurar este momento no Fluminense porque o Conselho Deliberativo é muito importante para o bom andamento dos processos dentro do tricolor feirense e por isso é que muitos defendem uma consonância entre o deliberativo e o executivo para que as ações aconteçam da melhor maneira possível.

SÓ RESTA – Esperar o desenrolar dos acontecimentos e torcer para que as pessoas deixem as vaidades de lado e pensem única e exclusivamente no bem do Fluminense para um futuro melhor do Touro do Sertão. Vamos deixar de lado esta oposição chiita e  pensar no bem maior. 

Cristiano Alves - Jornalista - DRT-BA-2300

Colunista de Esporte do Portal MF e Editor chefe do Jornal Folha do Estado

Por Cristiano Alves

Outras postagens de Cristiano Alves